Recent Posts

25/09/2010

Eu não sei porque escrevi isso

Eu tenho pena de você
Porque você nasceu
E agora vai ter que viver, ou seja,
Arcar com todas as consequências
É, meu querido,
Você vai ter que arcar

Você nasceu por acaso e por acaso
seus pais não te maltraram na infância e por acaso
você não morreu atropelado e por acaso
você é um homem que gosta homem e por acaso
você teve um cachorro e por acaso
ele não fugiu do inferno e por acaso
você estudou em escola particular e por acaso
você teve poucos amigos e por acaso
eles estão todos perdidos como garrafas plásticas

Por acaso você não namorou e por acaso
você nunca viajou para o exterior e por acaso
você teve crises de melancolia e por acaso
você começou a tomar medicamentos aos 12 e por acaso
você os toma até hoje e por acaso
eles não fazem efeito nenhum e por acaso
você morre de raiva e por acaso
você não sabe o que está acontecendo com você

Por acaso você nunca fez teatro e por acaso
ninguém nunca descobriu que você foi um grande ator e por acaso
você virou professor e por acaso
você viu sua arte reprimida e por acaso
você continua sozinho e por acaso
seus amigos continuam sendo garrafas plásticas e por acaso
você está em busca de um terapeuta e por acaso
você odeia academia e odeia praia e odeia festas
e por acaso você ama
e por acaso você é uma pessoa ruim e por acaso
você tem um melhor amigo e quer protegê-lo de todas as coisas ruins

Por acaso você nunca ajudou ninguém e por acaso
você achou que as suas esmolas não foram suficientes e por acaso
você nunca foi numa creche e num asilo e por acaso
ninguém próximo a você morreu e por acaso
você nunca fui num enterro e por acaso você
tem pavor da morte e por acaso você vive
pensando em doenças e por acaso
você nunca ficou gravemente doente e por acaso
um cachorro vai cagar na sua lápide dez anos depois
das sua morte

Por acaso você escreve e é um gênio e por acaso
você sabe o que é bom gosto e por acaso
você não sabe o que é ter bom gosto e por acaso
você não tem bom gosto e por acaso
você nunca visitou o Louvre e por acaso
você nunca foi ao Coliseu e por acaso
você não sabe de nada

Por acaso você ofendeu seus pais e por acaso
eles não são confiáveis e por acaso
eles não te dão medo e por acaso
você está lendo Cora Coralina e por acaso
ninguém nunca vai escrever uma biografia sobre você
como devem ter escrito sobre a Cora Coralina

Por acaso quem te ama você não ama e por acaso
você ama quem não te ama e por acaso
você sabe que a sua vida vai ser sempre incompleta e por acaso
você sempre deseja o melhor paras as pessoas nem que isso te custe
lugar algum ao sol

Por acaso você odeia esportes e por acaso
você não tem dinheiro e por acaso
ontem você assistiu O Velho e o Mar e por acaso
você nunca leu o livro e por acaso
você acordou hoje ainda vivo e por acaso
você escreve isso e por acaso
você sabe que terminar um poema assim é totalmente clichê.

Gian Luca

6 comentários:

ϟ мαrcos volk ! disse...

Uaaal, eu AMEI o texto, cara. Eu posso decorar esse texto pra jogar na cara do meu "ex-namorado"? hahahah
To seguindo seu blog, segue aqui também:

http://adquira-conceitos.blogspot.com/

e meu blog pessoal:

http://indelevelboy.blogspot.com

^^

Beeijão! ;*

Mariana D. disse...

Clichê ou não, li o poema inteiro, e gostei de cada pedaço dele.

Roderick Verden disse...

Por acaso gostei muito do texto! Bem realista, em especial na parte do cachorro q cagará na nossa lápide.
Prolfaças!

Pedrasnuas disse...

IMPRESSIONANTE...O TEU POEMA É UM RETRATO DE UMA VIDA...PODE SER A DE MUITOS DE NÓS...

QUALQUER PESSOA PODE SE REVER NUMA PARTE OU NA QUASE TOTALIDADE DESSE POEMA ...INCRÍVEL

PARA QUEM TEM SOMENTE 19 ANOS...

BEIJO

Ald Junior disse...

Não queria ser uma garrafa plástica... não mesmo hehehe

Gian Le Fou disse...

Vc não é, Ju. Não MESMO.

Vc é uma taça de ouro.